sábado, 1 de setembro de 2007

Espaço Cultural, Site, Balé e Movimento Cansei

Bom dia!
Hoje será lançado um novo espaço da cultura capixaba, Mercatto Donna Lora. O espaço é uma mistura de Culinária, artes plásticas e visuais. Funcionará aos sábados, das 10h às 22h, na Rua Moacyr Avidos, 47, Praia do Canto, anexo à casa Rosa, em Vitória.

Parabéns aos bailarinos, hoje é o dia de vocês. Na verdade o dia é das bailarinas, mas eu estendo aos mocinhos também!

Falando em balé, lendo o jornal vi uma notinha bem interessante "Depois de participar do Festival de Dança de Joinvile, em Santa Catarina, os bailarinos do projeto Pequenos Talentos, da Associação Comunitária do ES, se preparam para o Festival de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, que será realizado entre sexta-feira e domingo próximo". (Fonte: A Gazeta sábado 01 de setembro)
Que legal hein?! A nossa arte em outros estados.

Ainda no jornal A Gazeta de hoje, a matéria de capa do Caderno Dois, retrata uma discussão sobre o "movimento cansei". Os entrevistados deram suas opiniões, porém, destacaram um cansaço em alguns pontos nas áreas de Música, Literatura, Teatro e Cinema no Estado. Os representantes foram respectivamente: Carlos Papel, Sérgio Blank, Wilson Nunes e Sáskia Sá.
Segue alguns trechos de cada depoimento.

Carlos Papel - “... estou cansado de muitas coisas. Tenho 40 anos de profissão e vejo que o antiprofissionalismo ainda dá as cartas no ES. Para começar, nós, músicos, ainda temos que lamentar um descaso das autoridades pela cultura. O artista da terra ainda fica em segundo plano quando vai abrir o show de uma atração nacional... Cansei do palco menor... e dos cachês menores... Música não é motivo para fazer separação de classes. Música é para unir... Todos nós temos que tocar em condições iguais".

Sérgio Blank - “... se fosse para eu me cansar, diria que cansei dos livros de auto-ajuda e esotéricos... Isso é uma verdadeira axé music literária... Agora quanto ao que é produzido aqui no ES, me cansei foi da falta de um mercado editorial. Não temos editora daqui, com perfil profissional, o que faria uma seleção natural do que é escrito. Teríamos também uma distribuição decente dos livros de autores locais".

Wilson Nunes - "Cansei de esperar uma lei de incentivo do Estado para a produção teatral. Completo 25 anos de militância no teatro... e nunca vi algo semelhante. Cansei também da falta de um grande patrocinador para os nossos espetáculos. Quanto à nossa classe artística, estou cansado da falta de união entre os colegas. Nosso estado é pequeno, temos dificuldade para produzir, circular com as peças e, mesmo assim os atores e diretores insistem em ter uma postura competitiva. Se fôssemos unidos, nossas reivindicações teriam muito mais peso".

Sáskia Sá - " Cansei da falta de um edital dos órgãos públicos locais para a produção de um longa-metragem capixaba. Muita gente quer, muita gente tem idéias. Cansei também da falta de um museu de imagem e do som aqui no Estado... o ideal seria uma instituição dessas voltada unicamente para cinema. É preocupante pensar em que condições estão as muitas produções capixabas. E já passou da hora de termos uma faculdade de cinema".
Essas entrevistas na íntegra estão no jornal A Gazeta de hoje - 01/09/2007.


Concordo com Carlos Papel, quando diz que a música é para unir. E é verdade. Tivemos no início do ano um seminário que tratou muito bem dessa questão. A democratização da Cultura. O público é submetido ao que as grandes mídias impõem. Nesse contexto, o artista local não consegue espaço. Por conseqüência, os grandes produtores só realizam eventos com artistas da mídia. As empresas que patrocinam e querem divulgação da marca, só investem naquilo que aparece na televisão ou sai no jornal. E aí mais uma vez temos um megaevento com os mesmos artistas, que produzem a mesma coisa para o mesmo público. Para piorar a situação, os órgãos públicos acreditam na força dessas produções e investem muito. “Afinal, esse evento vai trazer um grande número de pessoas ao Estado, vai ser bom para o turismo local, blá, blá, blá e blá, blá, blá, blá...”.

É meu caro Carlos Papel(se é que me permite chamá-lo assim), a história se repete e se estende a todas as vertentes culturais.

Não quero de forma alguma criticar as produções que acontecem no Estado. Essa não é minha intenção. Critico aqui, a forma como as coisas acontecem. Acho que a oportunidade deveria ser igual para todos, independente do estilo de cada produção. Gosto não se discute. Mesmo por que, a idéia é que o público tenha contato com todo tipo de manifestação cultural. O errado está em empurrar garganta abaixo só aquilo que a grande mídia abraça.

As outras questões levantadas também são de grande relevância. A falta de união na classe cultural é um problema sério. Se não houver união, não haverá troca de informações e experiências. O que impede a profissionalização do mercado e o amadurecimento da cultura local. Isso faz com que o público acredite no mito de que a cultura capixaba ainda é amadora. Já, a falta de um mercado editorial impede que as produções literárias ganhem força no Estado e até mesmo no cenário nacional. E por último, essa questão do cinema é importante que seja avaliada. As produções audiovisuais ganharam muita força. Prova disso, são as disciplinas em cursos de comunicação voltadas para esse mercado. Deve ser criado algum mecanismo para incentivar grandes produções nesse setor.

O site Gazeta on-line está com um fórum sobre o tema, mas quem quiser debater nessa humilde mídia, fique à vontade.

Abraços e até.

2 comentários:

Hanna Estevam disse...

Esse movimento "cansei" se estendeu mesmo. Só não pode perder o foco de vez e começar a baixaria.

tonhaobt disse...

oi karlili..
achei interessante essa reportagem, até pq sou músico tb.. e sei como é complicado bandas locais poderem apresentar seus trabalhos de forma digna pra um musico ...
concordo plenamentecom vc.. t acho q as oportunidades teriam q ser iguais para todos.. e não somente akeles q estamos calejados de ver na mídia.
pq hj em dia até qndo famosos se separam, a mídia leva em todos os lugares do brasil pra eles se despedirem. será mesmo uma consideração com os fãs..??? ou mais uma forma de lucrar e nos empurrar sempre mais do mesmo?

bom acho q ja falei demais..